Archive for Julho, 2010

Tocantinenses se apresentam em Encontro Nacional de Bandas e Orquestras em Goiás

Julho 30, 2010

Sob a batuta do maestro Daniel Dias Borges, a Orquestra Filarmônica Plenitude, da Igreja Assembléia de Deus Madureira, localizada na Quadra106 Sul, em Palmas, fará apresentações em Acreúna (GO), durante o 9º Encontro Nacional de Bandas e Orquestras, que acontece de 06 a 08 de agosto.

Os músicos da Orquestra arquivam sucessos em apresentações realizadas no Tocantins e em Goiás.

De acordo com o maestro Daniel Borges, a música está sendo uma oportunidade que as crianças e adolescentes estão encontrando para ter uma vida saudável, longe das drogas. “É um trabalho social muito importante”. Através da música, as crianças e jovens aprendem a ter disciplina, respeito aos professores, a conhecer o valor das composições nacionais e internacionais e a ter um gosto pela música orquestrada.

Integrantes da Orquestra Filarmônica Plenitude, de Palmas

Banda Balança-i mostra a força da música produzida no Tocantins

Julho 28, 2010

A dupla Ed e Fernanda comanda a animação na banda

Destaque da música tocantinense  a Banda Balança-i, de Gurupi,   ao longo de sua existência vem conquistando uma verdadeira legião de fãs por onde tem se apresentado.

A banda é formada por Ed (voz e violão), Fernanda  (voz/ back), Fágner (bateria), Edinho (Teclados /produção), Jorge (guitarra), além de  Murilo, Bruno e  Cabeça, na produção, bem como Kennedy, no contrabaixo e Higor, no sax.

A Banda Balança-i já realizou diversas apresentações na região centro-oeste, bem como no Pará, Maranhão e aqui, no Tocantins, com destaque no período carnavalesco, ou mesmo, em carnavais fora de época e  festas-shows. A gravação do primeiro DVD da banda aconteceu na Odontofolia, em dezembro de 2007 que abriu muitas portas  para os músicos.

Para assistir o DVD promocional comemorativo de cinco anos da banda Balança-i, gravado ao vivo na micareta universitária Odontofolia, em Gurupi, clique aqui

Câmara lança o 6º Desafio dos Escritores

Julho 26, 2010

O Núcleo de Literatura do Espaço Cultural da Câmara dos Deputados informa que estão abertas, até o dia 31 de julho, as inscrições para o 6º Desafio dos Escritores. Nessa edição, que começa no dia 1º de agosto e terá todas as atividades realizadas pela internet, o evento contemplará os seguintes gêneros: conto, romance, poesia, crônica, soneto, cartas, esquetes de teatro, humor, infanto-juvenil e discurso.

Aberto a todo o Brasil, o Desafio é composto por uma oficina a distância, em que um grupo de jurados (professores, críticos, escritores e leitores) julgam e comentam os trabalhos produzidos semanalmente pelos participantes a partir de uma Provocação Semanal (tema proposto pelos organizadores, sempre novo e surpreendente, para a produção do texto). Dessa forma, os avaliadores transformam-se em professores a distância que, no conjunto de seus comentários, ensinam a técnica, a linguagem e o que funciona ou não para o leitor comum.

Para se inscrever, clique aqui:

Produção de texto
Só serão aceitos trabalhos inéditos, na fonte Times New Roman, tamanho 12, com, no máximo, 2013 palavras (tamanho de texto padrão), rigorosamente dentro dos temas ou desafios propostos, sob pena de sumária exclusão na etapa em questão. Nessa edição, não haverá eliminações e o vencedor será aquele que obtiver maior soma dos totais de cada uma das etapas.

Premiação

O vencedor ganhará um troféu simbólico e seu texto será divulgado no site Literatura de Câmara. Os organizadores lembram que o Desafio requer participação intensa, com tarefas ininterruptas até o fim da oficina, que tem duração de dez semanas.

Vantagens
A grande vantagem de um concurso nesse formato é que o autor iniciante ou ainda não firmado na carreira recebe semanalmente, de leitores especializados, uma crítica honesta sobre seu trabalho. Com isso, saberá quando sua escrita foi bem sucedida ou o que é preciso para melhorá-la. A maioria dos novos escritores tem grande dificuldade em receber esse tipo de retorno, pois todos os concursos limitam-se a premiar os vencedores. No Desafio, serão dados bons indícios para o autor avaliar-se e aprimorar-se.



Decálogo do “bom político”

Julho 25, 2010

01 –Em hipótese alguma existe o mau político. Na verdade, o que existe mesmo, é intriga da oposição.

02 – Um bom político nunca erra. Os erros quando acontecem, são exclusivamente por culpa de sua assessoria.

03 – Todo político, independente de sua religião, é um devoto nato de São Francisco de Assis: …”É dando que se recebe…”

04 – Um bom político nunca e jamais exige propina acima dos 20%, sob pena de estar contrariando o seu próprio “código de ética”.

05 – Um bom político não desperdiça seu tempo com conversa fiada: parlamenta!

06 – Um bom político é aquele que domina bem a arte de falar muito sem dizer absolutamente nada.

07 – Um bom político sempre fala na terceira pessoa do plural devido à representatividade de seus múltiplos interesses pessoais.

08 – Um bom político que se preza tem que ter, obrigatoriamente, pelo menos um bom puxa-saco. Se não o tiver, deixa de ser um bom político.

09 – Contrariando o que foi dito anteriormente, um bom político nunca tem puxa-saco. Têm colaboradores fiéis.

10 – Um bom político jamais comete crime de assédio sexual. Ele faz contatos com suas bases…

Tem político que está "bem preparado" para as eleições deste ano

O caminho aconchegante de Maria Loussa

Julho 22, 2010

Maria Loussa: poeta multifacetada

Nascida em Dianópolis, quando o município ainda pertencia  a Goiás, hoje, base territorial do Estado do Tocantins,  Maria Loussa é uma poeta multifacetada cujos textos se destacam por externar sentimentos que nos contagiam a todos.

Maria Loussa também é educadora, bióloga e escritora, que mesmo aposentada não esmorece jamais e leva uma vida laboriosa e intensa.

Sua estréia oficial no mundo das letras aconteceu  em meados de 2004, quando publicou o livro  A Beleza e o Valor da Mulher Cristã. Desde então, não tem parado de escrever, tendo trabalhos publicados em vários livros individuais e participação em várias antologias literárias pelo País a fora.

Quem desejar conhecer um pouco mais do universo literário de Maria Loussa, é só acessar o site http://www.loussa.prosaeverso.net.

De volta para o passado

Julho 21, 2010

Olha só o garoto Zaca

Recentemente estive em Belém do Pará, minha terra natal, passando alguns dias de férias, quando aproveitei a oportunidade para rever familiares e amigos

Minha irmã, Helena, entregou-me uma foto antiga minha, quando eu tinha onze anos e estudava o primário no Grupo Escolar D. Pedro II, época que sequer  sonhava que Gurupi existia.  Quem diria que anos mais tarde, lá pelos idos de 1983,  eu me mudaria de malas e cuia para essa simpática cidade tocantinense?

Pela foto de infância é perfeitamente possível notar que já naquela época eu apresentava  certo charme, coisa que veio se consolidar  anda mais na minha fase adulta.

Minha ida à Belém foi, entre outras coisas, uma verdadeira viagem no tempo. Todos queriam me mostrar as novidades dessa metrópole ou o que ainda do passado continua preservado.

Não faltaram aquelas pessoas que faziam questão de me mostrar fotos antigas  minhas, para fazer uma comparação entre passado e presente.

Sinceramente, devo confessar que  não  sei se por bondade ou por pena, mesmo, por várias escutei  que eu “não havia mudado nada”. Até um primo que não via há mais de 25 anos perguntou-me se eu havia tomado  gotas de formol, já que, segundo ele,  apesar da minha idade, eu “estava bem conservado”.

Por derradeiro, fui levado a um animado baile  onde o destaque musical era o tecnobrega, com direito a  ter minha “presença ilustre” devidamente registrada pelo disc jockey como “grande  personalidade do Estado do Tocantins”. É mole?

Mas, brincadeiras à  parte, foi uma viagem deveras interessante e que pretendo repetir por mais vezes e com intervalos menores, pois valeu a pena.

Festival Estudantil de Teatro recebe inscrições

Julho 21, 2010

Numa iniciativa da Associação No Ato Cultura, entidade que tem o seu trabalho focado com educação e cultura, estão abertas até o dia 16 de agosto, as inscrições para a décima edição do FETO – Festival Estudantil de Teatro, em Belo Horizonte (MG). As inscrições estão disponíveis apenas via internet. Ao fim do festival, em novembro, os jurados escolherão destaques dos espetáculos participantes e duas peças que serão reapresentadas em 2011. Para ter acesso ao regulamento completo do festival, clique aqui.

Estudantes vinculados a qualquer instituição de ensino no Brasil podem participar em duas categorias: Teatro na Escola, destinada a estudantes de escolas dos ensinos fundamental, médio e superior; e Escola de Teatro, voltada para estudantes de instituições de artes cênicas. Os espetáculos de ambas as categorias poderão ser inscritos nas modalidades teatro de palco, teatro alternativo e teatro de rua.

O FETO, um dos mais importantes festivais de teatro estudantil do Brasil, tem como objetivo não só apresentar espetáculos de grupos de teatro estudantis, mas também de estabelecer redes sociais colaborativas entre companhias artísticas para a articulação de um debate crítico.

A seleção dos espetáculos do festival será feita por cinco profissionais de artes cênicas, a partir do material entregue pelos grupos na inscrição. O resultado da seleção será divulgado até o dia 26 de agosto no site do FETO www.fetobh.art.br. Já a programação desta décima edição será definida assim que os grupos forem selecionados.

Sociedade Brasileira de Diabetes promove concurso literário

Julho 21, 2010

Objetivando incentivar a troca de experiências em diabetes no país, a SBD promove o 1º Concurso Literário SBD de Contos.

Podem concorrer quaisquer pessoas, desde que os textos inscritos sejam em língua portuguesa. Os trabalhos devem ser inéditos de temática livre, que envolva o diabetes.

As inscrições se encerram no dia 01 de agosto de 2010. Os trabalhos enviados após esta data não serão considerados. Para tanto estará valendo a data de postagem  nos Correios.

O limite de cada conto deverá ser de  até  quatro laudas ou 12 mil caracteres (com espaço). Os textos devem ser entregues em folha A4, corpo 12, espaço 1,5 (entrelinhas) e fonte Times ou Arial.

As inscrições devem ser enviadas por correio da forma seguinte:

Os trabalhos devem ser impressos em papel A4 e enviados para a INFORMED JORNALISMO, via sedex com AR, Rua do Catete 311, sala 614, Rio de Janeiro, CEP 22220-000.

Os contos devem ser remetidos em quatro vias assinadas com o pseudônimo, além de uma página separada, contendo os seguintes dados do concorrente: Nome completo; Pseudônimo; Data de nascimento; Profissão, endereço completo (com CEP) e endereço eletrônico.

As quatro vias devem ser colocadas em um envelope e dentro outro envelope com os dados do concorrente.

No caso de mais de uma inscrição será necessário outro pseudônimo e obedecer as mesmas recomendações.

Cada concorrente pode realizar no máximo duas inscrições.

A inscrição é gratuita.

Os resultados serão divulgados nos órgãos de comunicação da Sociedade Brasileira de Diabetes – SBD – Revista Diabetes, site www.diabetes.org.br, pela mídia e individualmente (por e-mail) a todos os participantes, no dia 15 de outubro de 2010.

A Comissão Julgadora será composta por:

Dra. Juçara Regina Viégas Valverde (Presidente da Academia Brasileira de Médicos Escritores -ABRAMES – e da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores do Rio de Janeiro – SOBRAMES RJ); Professor Marcus Vinicius Quiroga (Doutor em Literatura Brasileira, Ensaísta do Jornal Rioletras e Coordenador do Fórum Poesia UFRJ); Professor Cláudio Aguiar (Escritor, membro do PEN Club do Brasil, da Academia Carioca de Letras e do Instituto Histórico e geográfico do Brasil).

A Comissão Julgadora e os organizadores do Concurso – SBD – podem conceder menções honrosas ou especiais. As decisões da Comissão Jsão irrecorríveis.

A premiação será feita da seguinte forma:

1º lugar: 1 notebook e publicação do conto; com leitura durante a Festa dos 40 anos da Sociedade Brasileira de Diabetes – SBD;

2º lugar: 1 notebook e publicação do conto;

3º lugar: 1 HD Externo e publicação do conto.

Serão concedidas sete menções honrosas.

Os textos premiados serão publicados, sem ônus para seus autores, inclusive de remessa postal, e cada um destes autores receberá cinco  exemplares, em troca de cederem os direitos autorais para a Sociedade Brasileira de Diabetes.

Janjão se apresenta na Escola de Canuanã da Fundação Bradesco

Julho 3, 2010

Janjão e eu, antes da apresentação do espetáculo

Nos dias 1 e 2 de julho, estive na Escola de Canuanã, da Fundação Bradesco, no município de Formoso do Araguaia, pegando carona na apresentação da trupe da Cia de Teatro Sorria Meu Bem, que foi levar mais uma edição projeto Circo do Nelore, realizado pela Associação de Criadores de Nelore do Tocantins (ACNT), que engloba ainda palestras e distribuição de uma cartilha educativa.

A turma estava animada para assistir o espetáculo

À noite do primeiro dia de nossa chegada à Canuanã,  e antes da apresentação do espetáculo Sorria Meu Boi pelos atores Vinícius Martins, Fernando França, Soraine Morais, Luiza Quedes e Ranielly da Silva Costa, fiz  uma apresentação de ventriloquismo com o boneco Janjão e que chamou a atenção dos presentes, principalmente, das crianças.

O Janjão chamou mesmo a atenção dos alunos

No dia seguinte, pela manhã, mais  apresentações, desta feita, também para os pais dos alunos, já que estava sendo realizada uma reunião de encerramento do semestre.

Janjão arrrumou uma verdadeira legião de fãs na Escola de Canuanã

A Escola

A  Escola-Fazenda Fundação Bradesco Canuanã, foi inaugurada em 5 de julho de 1973, a 60 km da Cidade de Formoso do Araguaia. Na época, a região pertencia ao Estado de Goiás, hoje pertence ao Tocantins.

A escola funciona em regime de internato. Ocupa uma área total de 2.549,07 ha, com 72.343,14 m² de área construída.  Mais de 900 alunos  estão matriculados  na escola.

Características Regionais

A Escola está às margens das águas límpidas do rio Javaés, em frente à Ilha do Bananal, maior ilha fluvial do mundo, considerada Patrimônio da Humanidade desde 1.953.

A região tem fauna, flora e paisagens exuberantes, e se caracteriza pelo potencial econômico agropecuário, destacando-se a criação de gado de corte, cultivo do arroz, soja e melancia. Na área da Escola são encontrados vários tipos de vegetação, entre eles cerrado, mata fechada, varjões e várzeas inundadas, áreas típicas da Ilha do Bananal.

Educação Infantil

A primeira infância é um dos períodos mais relevantes no desenvolvimento mental, emocional e de socialização.

Estudos revelam que a qualidade de vida entre o nascimento e os seis anos de idade pode determinar as contribuições que uma pessoa fará a sociedade na fase adulta.

Ao instalar e manter as suas unidades escolares prioritariamente em regiões carentes do ponto de vista socioeconômico, a Fundação Bradesco procura contribuir para a reversão desse quadro, orientando-se por dois princípios: o respeito às particularidades locais e a valorização dos saberes adquiridos na convivência familiar.

Ensino Fundamental

Nos 9 anos de Ensino Fundamental, os alunos desenvolvem o domínio da escrita, da leitura e do cálculo. Além disso, tomam contato com outras áreas do conhecimento, como Ciências, História, Geografia, Arte, Educação Física.

Na primeira etapa do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano), por exemplo, os educadores incentivam os estudantes a concluir hipóteses e a utilizar novos e diversos recursos, como diferentes mídias. Já na segunda etapa (6º ao 9º ano), quando ingressam na adolescência, os alunos da Fundação Bradesco aperfeiçoam conhecimentos com a prática de projetos e a participação em mostras e exposições.

Ensino Médio

No Ensino Médio, encerra-se um ciclo importante da vida escolar. É o primeiro passo para o início da vida adulta. Nesse momento de fazer escolhas, a mais importante diz respeito à profissão: a Fundação Bradesco procura preparar profissionais e cidadãos conscientes de seus diferentes papéis na sociedade. Tão importante quanto adquirir novos conhecimentos, é aprender a lidar com eles de modo ativo, construtivo e criador.

Educação Profissional Técnica de Nível Médio

Formar cidadãos criativos, produtivos, empreendedores e, sobretudo, capazes de aprender a aprender para inovar sempre tem sido uma preocupação constante da Fundação Bradesco. Com o propósito de facilitar a inserção ou a recolocação no mercado de trabalho, os cursos estão divididos em quatro áreas: Agropecuária, Gestão, Informática e Indústria.

Além dos aspectos técnicos, os currículos valorizam a relação da cidadania com o mundo do trabalho e também as demandas específicas por profissionais qualificados nas regiões em que as escolas estão localizadas.

Formação Inicial e Continuada

A Fundação Bradesco conta com cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC), que oferecem programas de atualização e qualificação de indivíduos com diferentes níveis de escolaridade. São mais de 100 cursos livres, cuja finalidade é ensinar um ofício, possibilitando aos alunos aumentar sua renda e melhorar a qualidade de vida.

O amplo portfólio cobre áreas profissionais como as de Gestão, Imagem Pessoal (Moda e Embelezamento Pessoal), Indústria (Elétrica, Eletrônica e Tecnologia Gráfica), Informática, Lazer e Desenvolvimento Social, Turismo e Hospitalidade (Serviços de Turismo, Hospedagem e Alimentação) e Agropecuária.