Posts Tagged ‘unirg’

Unirg promove o IV Festival Universitário da Canção

Setembro 18, 2010

O FUC – Festival Universitário da Canção da UnirG está de volta.  Se você é acadêmico do Tocantins e tem o talento para cantar ou compor venha participar do evento. Veja o regulamento e faça sua inscrição até o dia 15 de outubro.

O Festival é aberto para músicas inéditas e tem o objetivo de descobrir, valorizar e promover novos talentos. A realização será entre os dias 21 e 23 de outubro, no pátio do Centro Administrativo da UnirG.

As inscrições podem ser feitas via correio, endereçadas para: Coordenação do Curso de Comunicação Social – UnirG, localizada na Rua Deputado José de Assis, quadra 278, lotes 01 a 10, CEP 77.402-050; pelo site da UnirG (www.unirg.edu.br), ou diretamente na Coordenação do Curso em Gurupi, no Bloco C do campus II, no horário das 14h às 18h.

O Festival irá selecionar até 20 composições e cada uma delas terá direito a uma ajuda de custo de R$ 200. Aos vencedores serão distribuídos os seguintes prêmios:

1º lugar: R$ 1.000,00 e troféu

2º lugar: R$ 800,00 e troféu

3º lugar: R$ 500,00 e troféu

4º lugar: R$ 300,00 e troféu

A música mais popular, escolhida pelo público por aclamação, também será premiada com troféu.

Confira o regulamento completo clicando AQUI

Anúncios

Histórias de Gurupi novamente no vestibular do Centro Universitário Unirg

Maio 15, 2010

Quem disse que Gurupi não tem histórias pra contar? Tem, sim, e muita. O que não falta na cidade é contador de histórias. Foi por isso que publiquei o meu sétimo livro “Histórias da História de Gurupi”, reunindo uma seleção de crônicas sobre o cotidiano desta que é considerada a Capital da Amizade.

O curioso é que mesmo não tendo nascido aqui e, assim como muita gente que mora na cidade, passei a viver em estado de gurupiense, pois fiquei perdidamente apaixonado por esta cidade, com a qual, me identifico entre tantas e tantas emoções.

Foi por essas e outra razões, não tanto por vaidade, mas sim, por orgulho, que tive a grata satisfação de ser informado que a Banca de Língua Portuguesa novamente utilizará o meu livro na elaboração das provas do Processo Seletivo do Vestibular do Centro Universitário UnirG.

Diante dessa informação, não perdi tempo. Já estou visitando cursinhos pré-vestibulares e escolas, fazendo palestras e discutindo com alunos e professores os vários aspectos desse meu trabalho literário.

O livro custa R$ 25,00 o exemplar, já incluindas as despesas postais de envio via Correios. Para comprá-lo é só fazer a solicitação via e-mail para zacamartins@gmail.com.

Historiografia crítica é tema de palestra no Centro de Ensino Médio Bom Jesus, em Gurupi

Outubro 30, 2009
PALESTRA NO CEM BOM JESUS 30.10.2009.  5No registro fotográfico, este blogueiro aparece ao lado do professor Pedro Amorim, a quem agradece pela acolhida recebida.

Na manhã desta sexta-feira, 30, estive  no auditório do Centro de Ensino Médio Bom jesus, em Gurupi, para proferir a palestra Historiografia  Crítica no  Livro Histórias da Historia de Gurupi.  O público alvo foram os alunos que estão concluindo o segundo grau e  já se preparando para encarar o exame vestibular.

Convém lembrar que o Centro Universitário UnirG adotou o meu livro como obra de consulta para o vestibular  2010-1.

PALESTRA NO CEM BOM JESUS 30.10.2009.  3

A palestra transcorreu em ritmo de muita descontração

Vestibular cheio de histórias

Setembro 28, 2009
O livro foi indicado para o Vestibular do Centro Universitário UnirG

O livro foi indicado para o Vestibular do Centro Universitário UnirG

Quem disse que Gurupi não tem histórias pra contar? Tem, sim, e muita.  O que não falta na cidade é contador de histórias. Foi por isso que no ano passado publiquei o meu sétimo livro “Histórias da História de Gurupi”, reunindo uma seleção de crônicas sobre o cotidiano desta que é considerada a  Capital da Amizade.

O curioso  é que mesmo não tendo nascido aqui e, assim como muita gente  que mora na cidade,  passei a viver em estado de gurupiense, pois fiquei perdidamente apaixonado por esta cidade, com a qual, me identifico entre tantas e tantas emoções.

Foi por essas e outra razões, não tanto por  vaidade, mas sim, por orgulho, que tive a grata satisfação de ser informado que a Banca de Língua Portuguesa utilizará o meu livro na elaboração das provas do Processo Seletivo 2010-1, do Vestibular do Centro Universitário UnirG.

Diante dessa informação, não perdi tempo. Já estou visitando cursinhos pré-vestibulares e escolas de segundo grau, fazendo palestras e discutindo com alunos e professores os vários aspectos desse meu trabalho literário.

O livro custa R$ 15,00 o exemplar, mais R$ 5,00 para despesas postais de envio via Correios. Para comprá-lo é só fazer depósito bancário em nome de:

Zacarias Gomes Martins
Banco: HSBC
Ag. 0523
Conta-Corrente: 25388-09

Depois é só confirmar o depósito pelo e-mail: zacamartins@gmail.com.

Também aceito remessas por Vale Postal.

Meu endereço é:

Caixa Postal 35

CEP: 77402-070 – Gurupi – TO

O teu olhar

Junho 18, 2009

1237682872_by_estrela_luz

O teu olhar é diferente
dos olhares que o meu já encontrou.
É um olhar muito atraente,
que de repente, me enfeitiçou.

O teu olhar tem mais vida,
mais brilho, beleza e cor.
O teu olhar, minha querida,
confesso, me conquistou.

Não, não sei explicar
o que se passa no teu olhar.
Só sei que me enche de emoção.

E quando estás me olhando
eu vou me controlando,
dizendo: agüenta coração!

(Zacarias Martins)

“Não se esqueçam de nós”

Junho 12, 2009
Vista aérea do centro de Gurupi

Vista aérea do centro de Gurupi

Um trabalho de grande alcance social. Esta é, sem dúvida, a verdadeira definição das atividades desenvolvidas pelos acadêmicos do sexto período do curso de Jornalismo do Centro Universitário UnirG, no bairro Cidade Industrial, no município de Gurupi, Estado do Tocantins, sob a coordenação do professor Paulo Fernandes, dentro da disciplina de Jornalismo Comunitário I.

Os acadêmicos puderam conhecer de perto a realidade desse bairro — o mais afastado da cidade — e que, por isso mesmo, parece ser o mais esquecido pelo poder público. A comunidade é carente praticamente de tudo. Não conta com ruas asfaltadas, nem praças, posto de saúde, centro comunitário, cursos profissionalizantes, áreas adequadas para práticas esportivas e muitas coisas mais.

O mato alto toma conta de todo bairro. A iluminação pública é precária e, em alguns locais, ela simplesmente inexiste. Não há posto policial. O transporte coletivo deixa muito a desejar e não funciona nos fins de semana ou feriados.

Na única escola existente no bairro, ao concluir o primeiro grau, os alunos que quiserem dar continuidade a seus estudos enfrentam outro problema sério: a falta de transporte para se deslocar até uma das escolas de segundo grau no centro da cidade. Muitos desistem diante das dificuldades.

As crianças e adolescentes do Cidade Industrial anseiam por cursos de música, de teatro, de dança, de capoeira ou qualquer outra atividade cultural onde possam despertar a seu talento.

Enfim, são tantas as carências e muito a ser feito no bairro que qualquer benefício à comunidade, mesmo o mais simples, é visto como uma grande conquista. E é nesse contexto que se enquadra o trabalho social dos acadêmicos de Jornalismo, que acabam de presentear às pessoas que alí residem com o jornal experimental A Comunidade, que chega em boa hora para dar vez, voz e visibilidade a essas pessoas, que, assim como nós, são cidadãos e merecem toda a nossa admiração e o nosso respeito. (Zacarias Martins)