Archive for Fevereiro, 2010

Projeto O Sabor da Leitura é lançado em Gurupi

Fevereiro 20, 2010

Numa iniciativa da AFERG- Associação dos Agentes Fiscais da Receita Estadual Regional de Gurupi, e do CAICA- Centro de Apoio e Integração da Criança e do Adolescente, foi lançada na noite de sexta-feira, 19,  o projeto  O Sabor da Leitura. O evento aconteceu no Centro Cultural mauro Cunha e contou com a participação de um expressivo público

De acordo com os organizadores, o objetivo do projeto é o de desenvolver ações em escolas públicas e  outras instituições visando formar leitores e escritores conscientes de sua participação na construção de uma sociedade mais justa e pacífica. Essas ações serão colocadas em prática de forma lúdica e educativa.

Como suporte ao empreendimento, o projeto conta com uma biblioteca volante que, inicialmente, possui  um acervo de  450 livros infantis e infanto-juvenis, bem como, revistas e gibis para o desenvolvimento das atividades pedagógicas. Além disso, na culminância das atividades, os participantes terão a seu dispor carrinho com pipoca, cama elástica, algodão doce, picolé e refrigerante.

Os gestores de escolas que estiverem interessados no projeto podem entrar em contato com a coordenação do projeto O Sabor da Leitura, por meio dos telefones (63) 8462-3430  e  9233-7576, ou ainda pelo e-mail caica.aferg@gmail.com

Anúncios

… E a história se repete

Fevereiro 18, 2010

Qual é a cara de um jornalista? Acaso jornalista tem cara padrão? Mas, afinal, o que é preciso para se identificar um jornalista num evento de vulto como é o carnaval de rua de Gurupi e facilitar-lhe o trabalho enquanto uma multidão se diverte?

Quem pensou que bastava uma credencial expedida pela comissão organizadora do evento, ou mesmo, o crachá da empresa em que trabalha ou, quem sabe, a carteira de identidade da FENAJ –Federação Nacional dos Jornalistas Profissionais, se enganou enormemente.

Como nos anos anteriores, a empresa que terceirizou os camarotes no circuito da folia, montado na Avenida Goiás, colocou um grupo de seguranças despreparados que, a todo o custo, dificultou o trabalho dos profissionais que fazia a cobertura do Gurufolia Elétrico.

Teve profissionais da comunicação de Palmas e de Goiânia que foram barrados no acesso aos camarotes, mesmo tendo si identificado como jornalistas e explicado que estavam ali a trabalho.

Para os seguranças, de plantão na entrada dos camarotes, jornalista eram apenas os cinegrafistas das emissoras de TV, ou ainda, os fotógrafos, desde que apresentassem uma máquina profissional e bem equipada de apetrechos. Quanto maior a máquina, mais facilidade se teria ao acesso dos camarotes.

Nem os jornalistas gurupienses escaparam da ação desses despreparados seguranças. O curioso é que esse tipo de coisa (e com a mesma empresa) já vem acontecendo há anos sem que nada seja feito para se reverter a situação. Afinal de contas é a imagem do carnaval de Gurupi que está em jogo.Se até os profissionais da comunicação são tratados com desprezo por esses seguranças, imagine, só, o cidadão comum.

É preciso que a Prefeitura de Gurupi e os organizadores do carnaval da cidade tomem providência para que esse tipo de coisa não volte acontecer mais.

Nesse momento de dificuldades financeiras por que passa o município, quanto mais notícias positivas sejam divulgadas na mídia, melhor será para todos, já que todos ganham.

Agora, dificultar o trabalho dos profissionais de imprensa durante a maior festa de carnaval do interior do Tocantins, certamente não está com nada. Como homem empreendedor e de visão ampla que é, o prefeito de Gurupi, Alexandre Abdalla, certamente não aprova a atitude desses seguranças.

Irã é tema de livro e de debate na TV Estadão

Fevereiro 4, 2010

O cineasta e filho de iranianos Flavio Rassek e a escritora Marcia Camargos foram entrevistados, na TV Estadão pela jornalista Adriana Carranca, do jornal “O Estado de S. Paulo”. O tema das violações dos direitos humanos no Irã foi abordado com muita propriedade pelos entrevistados. Vale a pena conferir!

DICA DE LEITURA

Para quem deseja saber mais sobre o Irã dos aiatolás, eu recomendo a leitura do livro “A Travessia do Albatroz – Amor e Fuga no Irã dos Aiatolás” (Geração Editorial, 294 págs., R$ 39,90),de Marcia Camargos.

Construído a partir do relato de um refugiado iraniano que vive no Brasil, narra a história de Kurosh Majidi, um jovem na época da Revolução (1979), e de seu amigo Behruz, que é seduzido pelo discurso radical xiita. Enquanto Kurosh evita alistar-se no Exército, Behruz parte para a luta na sangrenta guerra Irã-Iraque, nos anos 1980.

O albatroz do título é uma referência à ave migratória – a fuga de Kurosh torna-se a questão central do livro quando a situação política torna-se insustentável para um rapaz que gostava dos Beatles e de estrelas pops iranianas. A edição do livro não esconde o desejo de fazer dessa história um best seller. Belas fotos e mapas procuram tornar o livro, ao mesmo tempo, mais “gordo” (em volume) e mais “leve” (como leitura). O texto é claro e procura ser didático quando a autora julga isso necessário, apresentando detalhadamente alguns aspectos culturais do Irã menos conhecidos do público.

Poeta José Ribamar dos Santos participa de antologia nacional

Fevereiro 3, 2010

Depois de ter participado do Concurso Nacional “Emoções em Prosa & Verso", o texto de José Ribarmar foi selecionado para a antologia, em Varginha, MG.

Com o soneto “Sede da Flor’, o poeta tocantinense José Ribamar dos Santos obteve Menção Honrosa no Concurso Nacional “Emoções em Prosa & Verso”, promovido pelas Edições Alba e que contou com o apoio da Academia Varginense de Letras, Artes e Ciências, da cidade de Varginha, MG.

Ao todo foram inscritos nesse certame literário, 392 textos de autores de 19 Estados e do Distrito Federal, sendo que a comissão julgadora selecionou 55 que integram, agora, a antologia intitulada de “Emoções em Prosa & Verso”e que foi lançada no final do ano passado.

PERFIL DO AUTOR
José Ribamar dos Santos é nasceu em Dueré (TO), mas reside em Gurupi, onde trabalha na Secretaria Municipal de Cultura. O poeta é titular da Academia Gurupiense de Letras, onde ocupa a Cadeira de nº 01. Sua estréia oficial no mundo das letras aconteceu em meados de 1998, quando teve trabalhos publicados no “Anuário de Poetas e Escritores de Gurupi”. Também participou das edições de 1999, 2000 e 2004. Seu primeiro livro individual “A Rosa de Ouro & Outros Poemas”, foi publicado em 2003. Nesse mesmo ano integrou as antologias “Anuário de Escritores”, “Talentos de um novo tempo” e “Diário do Escritor”. Participou, ainda, das antologias literárias “Palavras de Amor” e “Prêmio Anchieta de Poesia”, ambas em 2000. Já em 2001, participou da antologia “E por falar em amor…”. Em 2002, foi alvo de substanciosa matéria publicada na revista “Almanaque Cultural do Tocantins”, órgão de divulgação da Fundação Cultural do Tocantins. Em 2004, teve trabalhos publicados na antologia “Além das palavras” e publicou o seu segundo livro individual de poemas, intitulado “Alma de Penas”. Em 2006 participou das antologias “Amar é tão bom” e conquistou menção honrosa no IX Prêmio Missões, do Rio Grande do Sul, tendo participado de uma antologia reunindo os trabalhos que mais se destacaram nesse prêmio. Em 2008 participou da “Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos” – Volume 31, lançada pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores (CBJE), do Rio de Janeiro.